Esgoto está sendo lançado nas águas da transposição do São Francisco em Monteiro, PB
16/05/2018 - 14h51 em O que acontece..

MPF constatou que problemas de saneamento tem causado despejo de esgoto no canal.

Um problema no saneamento básico na cidade de Monteiro, no Cariri paraibano, tem propiciado o vazamento de água de esgoto para o canal da transposição do Rio São Francisco. Conforme relatos de moradores de Monteiro, um canal usado para escoar água da chuva tem sido usado como canal de esgoto.

O problema do encontro do canal usado como esgoto com as águas da transposição do São Francisco é de conhecimento do Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba há mais de um ano. Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) foi acertado em reunião realizada na quinta-feira (10) e vai ser firmado entre os órgão competentes e o MPF na quinta (17) para solucionar os problemas de esgotamento em Monteiro.

Além do vazamento de esgoto para o canal da transposição, foram constatados problemas de dejetos transbordando no canal e poluição atmosférica. A cidade conta com uma estação elevatória, mas uma inadequação da rede elétrica impede que a estação funcione.

 

A Prefeitura de Monteiro e a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) chegaram a um acordo para a estação final de tratamento de esgoto comece a funcionar. Com a assinatura do TAC, a prefeitura se responsabiliza por eventuais falhas constatadas na execução das obras da etapa do sistema de esgotamento sanitário.Por sua vez, a Energisa, concessionária de energia elétrica na Paraíba, acertou com a prefeitura de Monteiro um cronograma de execução de todas as obras complementares relativas ao esgotamento sanitário, previstas no Projeto de Integração do São Francisco (Pisf), que vão precisar de ligação de energia.

 

Moradores reclamam

 

O agricultor Juvino da Silva explicou que a água da transposição serve para consumo, mas pelo encontro com as águas de esgoto, fica impossível consumir diretamente. “Eu fico triste com isso, porque essa poluição corre para as águas do São Francisco”, comentou.

Dimas Gonçalves, outro agricultor da cidade, reclamou que o problema da água se tornou uma calamidade pública na cidade. “Se der uma chuva, você vê a catástrofe. Essa situação acaba com a saúde da população de Monteiro, e de Campina Grande também, porque essa água da transposição também vai para Campina”, lamentou.

FONTE:https://g1.globo.com

COMENTÁRIOS